GSM Sistemas

Login Cliente




Para cortar gastos médicos, planos de saúde dos EUA recomendam consultas online

 

Procurando cortar gastos médicos e visando o diagnóstico de doenças menores, os planos de saúde dos Estados Unidos têm buscado alternativas para as consultas médicas dos pacientes. A WellPoint e Aetna, entre outras empresas de planos de saúde, estão fazendo com que milhões de pacientes sejam consultados de forma online antes de serem encaminhadas ou não aos consultórios.

Diante da grande expansão da telemedicina, neste mês a WellPoint começou a oferecer a 4 milhões de pacientes a possibilidade de terem consultas virtuais com médicos, e a Aetna disse que ampliará o acesso online a 8 milhões de pessoas a partir de 2015, contra 3 milhões atualmente.

As empresas de seguro médico estão se unindo a firmas como Teladoc, MDLive e American Well, que oferecem consultas virtuais com médicos que, em alguns estados, podem prescrever medicamentos para doenças como sinusite e dor nas costas. Enquanto os pacientes com tempo limitado gostam da ideia, alguns médicos demonstram preocupação de que as consultas online possam elevar o número de diagnósticos equivocados. Uma dor de estômago pode não ser nada, ou pode ser uma apendicite, afirmou R. Adams Dudley, da Universidade da Califórnia, São Francisco.

“Um pequeno toque, só isso, pode fazer uma grande diferença para saber onde está a dor”, explicou Dudley, professor de Medicina e Saúde Pública na universidade. “Para sintomas que os médicos precisam ver, algumas telas de computador simplesmente não tem a melhor resolução e definitivamente não é possível ajustar a iluminação”, completou.

De acordo com ele, isso pode tornar difícil até mesmo algo simples como procurar uma membrana estranha no fundo da boca ou encontrar excesso de pus no seios da face – sinais que podem ajudar a determinar se um paciente precisa de antibiótico ou se ele só tem um resfriado comum que irá embora sozinho.

Segundo um estudo publicado pela revista PLoS ONE em 2013, o custo médio de uma consulta em um pronto-socorro subiu para US$ 1.223. Enquanto isso, o custo de uma consulta virtual por meio da Teladoc, American Well ou MDLive sai por menos de US$ 50.

Além do custo, o fácil acesso é outra vantagem. Os três sites também oferecem aplicativos móveis e a mesma disponibilidade de médicos da maioria dos prontos-socorros, com serviço 24 horas por dia e 7 dias por semana.

Palavras-chave: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,